Torá em Português

Parashat Tetzavê

Tudo Entra Pelos Olhos

Tradução de español: David Abreu

Vivemos na era da imagem.

Embora falemos frequentemente de imagens vazias, praticamente nenhum empresário hoje negligencia –por exemplo- os aspectos externos e muitas vezes superficiais da sua produção comercial.

Talvez já tenha acontecido com você reconhecer um novo doce em algum outdoor na rua. A foto do bombom está ótima; o manjar apetitoso. Parece enorme e você pode reconhecer cada uma das amêndoas que tem dentro. Você corre até o quiosque, e quando pensa que vai precisar de pouco mais que um guincho para trazer a guloseima de volta para casa, o quiosque te dá um minúsculo chocolate com mais papel do que doce ...

Sem falar na imagem dos políticos. Novos dentes para campanhas, implantes capilares, figuras atléticas, amantes das paixões populares para deixarem de ser o que são e se transformarem no que as pessoas querem que sejam.

Nossa Parashá cuida da imagem desta semana. Na Parashat Tetzavê, D`us descreve em detalhes luxuosos a roupa apropriada que Aharon deve usar, o Kohen Gadol (Sumo Sacerdote). Um vestido luxuoso com ouro e pedras preciosas; "maase choshev" (um vestido artesanal) conforme descrito na Torá.

Aharon, o Sumo Sacerdote, é definido por nossos sábios como 'ohev shalom verodef shalom, ohev et haberiot umekarvan la Torá' (amante da paz e perseguidor da paz, amante das criaturas, a quem ele aproximou da Torá) (Avot 1, 12). Ele precisava dessas roupas para desempenhar seu papel? D`us precisava que você se vestisse com tanto luxo para servi-Lo? Suas virtudes não eram suficientes?

Por que D'us não diz a ele Aharon: "Aharon ... Eu sei quem você é. Nenhum vestido, não importa o quão luxuoso ou comum seja, vai mudar Minha opinião sobre você. Vista-se como quiser, para mim tudo bem"?

Por que tanto ouro, diamante, safira, ônix? Para agradar a quem? A D'us ??

Não. D'us não foi o destinatário da mensagem que essas roupas carregavam, mas o povo de Israel. Certas funções - como o Sumo Sacerdote - ou certas circunstâncias - como o Shabat, por exemplo - requerem roupas apropriadas, não porque D'us se preocupe, mas porque iremos expressar através de nossas roupas a maneira como somos, nos vinculamos a tal função ou circunstância .

Ninguém gostaria que eu fosse liderar uma tefilá do Shabat vestida de moleton e chinelos, não porque isso me tornasse uma pessoa má, mas porque eu estaria transmitindo à minha congregação que para mim uma tefilá do Shabat não é diferente de uma partida de futebol .

Algo semelhante aconteceu com o sumo sacerdote e suas roupas.

“Não é apropriado vir à sinagoga para orar no Shabat com as mesmas roupas que você vai dançar”, disse muitas vezes a alguns jovens. "Não é apropriado ir à sinagoga no Shabat vestindo as mesmas roupas que você usa no clube", disse muitas vezes a alguns adultos.

E o que a roupa tem a ver com o que sinto por D'us? Eles me perguntaram.

"Nada, absolutamente", respondi ... Mas quem disse que aquele se veste para agradar a D'us? "(Quando Adão e Eva estavam caminhando nus no paraíso, chegou um tempo em que folhas de figueira foram colocadas como roupas, não para agradar a Deus, mas porque eles tinham vergonha de andar nus.)”

D'us, que lê o coração de cada mortal, não precisa de nossa imagem externa para nos valorizar, mas sabe muito bem que o homem também se expressa por meio de suas roupas, não por ser superficial e frívolo, mas por ser humano.