Torá em Português

Parashát BeShalach

Sonhos Transcendentes

Tradução de español: David Abreu

O povo judeu sabe desde muito cedo que uma das melhores maneiras de transcender como povo é plantando árvores.

É extremamente interessante analisar as palavras do Midrash em VaiKrá Rabba (25, 3): Desde o tempo da criação do mundo, o Santo Bendito cuidou da semeadura (um jardim) em primeira instância ... Você também - diz D'us- cuide sobretudo de semear ao entrar na Terra Prometida.

Antes - mesmo - de ordenar a construção do Beit HaMikdash (Templo Sagrado), vemos que D'us exige que Israel plante árvores.

Nossa vida como povo está tão ligada às árvores que até D'us, ao se revelar a Moisés, escolheu fazê-lo por meio de uma árvore.

Nós, judeus, sobrevivemos à destruição de dois Batei Mikdash (Templos Sagrados). Conseguimos superar a perda das Tábuas da Lei ... Mas desde muito cedo, fomos ensinados como povo que sem árvores morremos ...

Um dos maiores orgulhos de todos os israelenses é ter sido capaz de transformar um deserto em um pomar.

Conquistar a terra não foi um feito devastador para Israel, como foi para tantos conquistadores na história. Israel defendeu e está defendendo esta terra por meio de armas. Mas para conquistá-la ... ele conquistou, plantando e semeando ...

Um dos nossos maiores orgulhos é ver como esta terra, abandonada e esquecida por todos os que a habitaram durante os últimos dois milénios, hoje tem verde em cada um dos seus recantos. Israel é o único país na face da terra que atualmente possui mais árvores do que na época de sua independência.

Tão ligada está nossa vida como povo às árvores, que até Moisés no final do Shirat HaYam (Canção do mar), a canção que Israel cantou depois de cruzar o Yam Suf, diz “Teviemo VeTitaemo BeHar Nachalecha”. “Você trará Israel”, diz Moisés, “e você os semeará (VeTitaemo) no monte da sua herança”.

D'us não apenas nos abençoou ao nos trazer a esta terra. D'us - como um bom jardineiro que é - nos plantou nesta terra. Com a mesma paixão com que semeou o gan eden (jardim do eden) depois de criar o mundo.

Neste Tu BiShvat (Ano Novo das árvores), afirmamos com essa mesma paixão que, enquanto mantivermos nossas raízes profundas e continuarmos a ser capazes de dar frutos como um povo, ninguém e nada será capaz de tirar-nos daqui.