Torá em Português

Parashat Vaielech

Sobrevivendo

Tradução de español: David Abreu

“E Moisés chamou Josué e disse-lhe aos olhos de todo o Israel, seja forte e corajoso” (Devarim 31, 7).

Em certa ocasião, o rabino David Golinkin foi questionado se - de acordo com Halachá - o rudimentar prognóstico poderia ser anunciado a uma pessoa com doença terminal ou se era melhor escondê-lo dele. Um dos argumentos do Rabino para responder afirmativamente foi que o doente só poderá tomar decisões importantes se souber a verdade.

Moisés está em uma situação semelhante.

Ele tem o estranho e duvidoso "privilégio" de saber que vai morrer e com resignação se prepara para tomar uma decisão final: quer um sucessor. Ele deseja que sua vida seja abreviada, mas não que sua missão seja abreviada.

Como era Moisés ?, pergunta o Midrash.

A um pastor fiel a quem o dono do seu gado disse: "Afasta-te do meu gado."

Ele disse: 'Não vou recuar até que você me diga quem vai ser o meu sucessor” (Ialkut Shimoni).

Embora nunca possamos saber o que acontecerá no mundo que virá depois que partirmos, existem certas decisões na vida que nos mantêm vivos mesmo após o nosso fim. Da mesma forma que se pode ir ao banco e abrir uma caderneta de poupança para acumular bens materiais, devemos nos esforçar para moldar nosso legado ético-espiritual.

Moisés quer que ele seja lembrado pelo que ele foi e sabe que sua existência terá continuidade na existência de seu sucessor, que será ninguém menos que Yoshua bin Nun (Josué).

Li uma vez sobre um pesadelo que o filósofo Bertrand Russell teve. Ele viu um bibliotecário com um de seus livros mais famosos nas mãos, tentando decidir se o colocava na estante ou o jogava fora para abrir espaço para livros mais recentes.

O que estava em jogo neste pesadelo era nada menos do que o significado do filósofo.

As gerações futuras serão capazes de se lembrar de nós por algo? Vamos transcender nossa própria morte?

Se deixarmos de transmitir nossos sonhos, nossos ensinamentos, nossa insônia a alguém que vier depois de nós, nossa vida perderá muito do seu significado.

A transcendência nos revela, pode muito bem tirar nosso sono.

Queremos viver ou apenas sobreviver?

Assim como uma criança travessa, vendo o concreto fresco na calçada, é tentada a deixar sua marca ali, Moisés deseja deixar sua marca em Josué para ser reconhecido através dele.

Ele já poderia morrer em paz.