Torá em Português

Old Hebrew Prayer Book

Parashat Nasó

Ser chamado Nachshon

Tradução de español: David Abreu

De acordo com nossos sábios (Sota 37a) Nachshon ben Aminadav foi o primeiro a pular nas águas do Mar Vermelho com a partida dos filhos de Israel do Egito. Este midrash é a origem da palavra hebraica "nachshonim" que qualifica os pioneiros que vão à frente de todas as missões, por mais perigoso que seja.

Sem querer, Nachshon tornou-se um adjetivo que, dadas as circunstâncias, acaba sendo um grande elogio para ele e para sua atitude corajosa.

Tornar-se um adjetivo não é pouca coisa; é uma grande distinção.

Quando ouvimos falar de um filósofo do raciocínio aristotélico ou de um poeta de estilo nerudiano, esses adjetivos não só qualificam o pensador ou o poeta, mas também nos ajudam a apreciar a grandeza daqueles personagens que conseguiram se tornar qualificadores ao longo das gerações.

Quando um nome próprio vira adjetivo, é porque sua vida deu o que falar. Sua passagem pelo mundo não gerou indiferença.

Nachshon ben Aminadav pertencia a essa classe de pessoas. Mas, além disso, Nachshon era o Nasi (chefe) da tribo de Yehuda.

A Torá nos fala em nossa Parashá sobre as ofertas que foram trazidas pelos líderes tribais para a inauguração do Tabernáculo. Esta inauguração durou doze dias e em cada um deles foi outro chefe de tribo quem apresentou a sua doação.

No entanto, há uma peculiaridade muito especial quando Nachshon é nomeado. Todos os chefes tribais são chamados pelo título de "nasi" (líder, chefe), com exceção de Nachshon. E não é que não fosse ...


Tem gente que passa a vida exibindo o título. Doutor Doe, Engenheiro Mengano, Rabino Sultano. Mas há pessoas que não precisam disso. Porque seu título é seu primeiro nome. Seu nome ofusca seu título. Quando se é Nachshon, o título não acrescenta nada.

Algo semelhante aconteceu com o primeiro rabino da história: Moshe Rabbenu.

Moshe Rabbenu tem uma peculiaridade. Todos os rabinos têm o título antes de seu primeiro nome: Rabbi Akiva, Rabbi Tam, Rabbi Moshe ben Maimon, etc.

Porém, no caso de Moshe, ocorre o oposto. Primeiramente mencionamos seu nome (Moshe) e somente depois de seu título (Rabenu).

Porque?

Porque o resto dos Rabinos são enobrecidos pelo título, como tantos médicos, ou tantos engenheiros ...

Mas no caso de Moshe foi diferente: o título de Rabino foi enobrecido com ele. O homem venceu o título.

Rabi Shimon ensina em Pirkei Avot (4, 13).

Existem três coroas: a coroa da Torá, a coroa do sacerdócio e a coroa do reino. Mas a coroa do bom nome supera tudo.

Uma pessoa pode ser reconhecida e respeitada por ser um Rabino, por ser um Cohen ou por ser um rei. (E acrescentaria: pode ser médico, engenheiro ou advogado).

Mas quando uma pessoa é reconhecida por ser gente, não há grandeza maior do que essa. Quando você tem um bom nome, o título não é mais necessário.