Torá em Português

Old Hebrew Prayer Book

Parashat Nasó

Semelhantes, mas diferentes

Tradução de español: David Abreu

Nesta semana, leremos na Parashat Nasó sobre a inauguração do Tabernáculo e as doações que os doze príncipes de cada tribo trouxeram como oferenda.

O estranho é que todos trouxeram exatamente a mesma coisa como doação: uma bandeja de prata e um caldeirão com farinha e sêmola misturada com óleo, uma colher de ouro cheia de incenso e vinte e um animais diferentes para os sacrifícios.

E ainda mais estranho é que a Torá em vez de sintetizar e mencionar os doze príncipes juntos e a doação que eles fizeram, os menciona um por um com a oferta correspondente.

No final das contas, a Parash á poderia ter cerca de setenta versos a menos. No entanto, a reiteração das ofertas uma e outra vez acaba transformando-a na seção mais extensa de toda a Torá com cento e setenta e seis versos.

Quando eu era mais jovem, achava que essa Parash á poderia ser o pesadelo de qualquer Baal Koré. Mas não. Na realidade, a Parash á - embora seja longa - é bastante repetitiva.

Por que a Torá repete a mesma coisa doze vezes? Qual é o propósito disso?

A resposta é que as doze ofertas não eram exatamente iguais, embora parecessem.

Embora seja verdade que exteriormente o eram, cada um carregava consigo um entusiasmo e uma devoção diferentes, típicos de cada um dos doze príncipes de Israel.

Cada momento de entrega e cada pessoa que entrega contém um entusiasmo diferente.

Imagine o seu aniversário e doze dos convidados da sua festa dando a você o mesmo cartão de Natal.

Formalmente, existem doze cartas. Mas a dedicação e o amor de cada um mudam, pois cada coração tem um sentimento diferente.

É como aquelas peças que ficam na lista por vinte anos. Milhões de pessoas vão assistir; muitos o fazem mais de uma vez (e não importa) porque a dedicação e os sentimentos dos artistas mudam mesmo quando o texto é repetido letra por letra, palavra por palavra, durante vinte anos.

Porque mesmo quando as formas nos deslumbram, devemos nos deixar deslumbrar pelos corações. Como diz Pirkei Avot: Al Tistakel BaKankan, Ela BeMa SheIesh Bo. Não preste atenção no cântaro; preste atenção ao seu conteúdo.