Torá em Português

Parashat Bo

Quatro em Um

Tradução de español: David Abreu

A Lei da Independência de Israel (Meguilat Ha-Atzmaut) estabeleceu que a Constituição Nacional do jovem estado deveria entrar em vigor o mais tardar em 1º de outubro de 1948. Os delegados de todos os partidos que assinaram a lei e se comprometeram a fazer isso acontecer, mas desde então se passaram mais de 70 ans e Israel ainda está em busca de uma Carta Magna e a comissão continua a se reunir ...

A Comissão para a elaboração da referida Constituição passou a funcionar com o estabelecimento do Estado de Israel. No entanto, desde então, tem se mostrado impossível transpor as enormes diferenças ideológicas que separam os diferentes partidos que compõem a democracia israelense.

Os partidos ultraortodoxos certamente querem que a Constituição inclua um artigo garantindo a construção do Terceiro Templo quando chegar o tempo devido. Os partidos de esquerda certamente querem mudar aqueles símbolos nacionais (Hino, Escudo, Bandeira) que não representam as minorias (alguém brincando disse há algum tempo que, após décadas de deliberações, a comissão apenas concordou que o nome do Estado deveria ser "Israel").

Levando em consideração os abismos ideológicos que separam uma complexa sociedade israelense, é bom nos perguntar como Israel conseguiu passar por quase sete décadas de história atormentada por inúmeras ameaças à sua segurança nacional.

Podemos possivelmente encontrar a resposta na Parashá desta semana.

Perto do final da Parashat Bo, as primeiras duas seções das quatro que constituem o preceito dos tefilin aparecem (Kadesh LíKol Bechor– Ve-Haia Ki Iaviacha).

Embora os tefilin (cabeça e mão) pareçam semelhantes a olho nu, existem várias diferenças entre os dois.

Entre eles, um dos mais notáveis ​​é que essas quatro seções são escritas em quatro pergaminhos separados na tefilá cabeça, enquanto na tefilá da mão são escritas em um único pergaminho.

Por que essa diferença?

Possivelmente, essa particularidade sugere uma resposta à nossa pergunta inicial.

A cabeça representa o mundo das idéias e visões de mundo. Os quatro compartimentos da tefilá da cabeça ensinam que a pluralidade de idéias é uma das varas pelas quais a saúde de uma sociedade é medida.

Porém, isso muda quando passamos para a mão, membro responsável pela ação. Lá, a pluralidade de ideias deve se reunir em um fazer comum.

Israel conseguiu atravessar as águas turbulentas da sua jovem existência, porque conseguiu compreender a diferença de natureza entre a cabeça e a mão, entre o universo das ideias e o terreno da ação. E quando chega a hora, quando o tempo exige, Israel conseguiu superar os abismos ideológicos e moldar um estado próspero e vibrante, apesar de seus inúmeros desafios.

Essa foi e ainda é nossa maior força. A mitzvá dos tefilin já nos ensina que quatro podem muito bem se tornar um.