Torá em Português

Parashat Lech Lecha

O preço dos Sonhos

Tradução de español: David Abreu

No início da Parashat Lech Lecha, ouviremos novamente o chamado de Abraham Avinu: "E D'us disse a Abrão: Vai por ti mesmo de tua terra e de teus parentes e da casa de teu pai, para a terra que eu designarei para você. Farei de você um grande povo, e eu o abençoarei, e tornarei grande o seu nome, e você será uma bênção "(Bereshit 12: 1-2).

RaSHI é sensível à multiplicidade de bênçãos mencionadas nesses versículos. Está escrito: "E eu farei de você um grande povo", "E eu o abençoarei", "E eu tornarei grande o seu nome". Não foi o suficiente para a Torá dizer "E você será uma bênção"?

RaSHI responde a essa pergunta de uma forma formidável:

Por que três bênçãos são necessárias para Abrão?

As viagens (já que D’us o mandou viajar) costumam afetar três aspectos chaves na vida de uma pessoa: Afetam a capacidade procriadora, diminuem a riqueza (da pessoa) e prejudicam seu nome. Portanto, essas três bênçãos eram necessárias; Ele (D'us) prometeu-lhe filhos, riqueza e um bom nome (RaSHI para Bereshit 12: 2).

O RaSHI sugere que todos geralmente pagam um preço alto ao escolher um novo caminho. Sua família, bens e bom nome podem ser seriamente afetados pela sua decisão.

No entanto, seria errado concluir que é preferível ficar parado ao invés de trilhar novos caminhos e experimentar novas buscas. Os visionários sempre correm riscos.

Podemos deixar mais clara essa ideia utilizando o seguinte exemplo:

Quando hoje percorremos uma estrada, sabemos que ela foi idealizada por engenheiros e profissionais de diversas áreas.

Porém, vale a pena perguntar: Quem escolheu o trajeto desta estrada?

Na era moderna, os construtores de estradas contam com tecnologia de ponta - como a fotografia de satélite - ao traçar trilhas. No entanto, em certas ocasiões, tendemos a viajar por estradas cujo caminho foi traçado há centenas de anos por algum viajante intrépido que buscou um caminho através das montanhas.

Muitos foram os que seguiram seus passos, até que um dia aquelas primeiras pegadas se transformaram em um caminho de terra. Os anos fizeram aquele caminho de terra aparecer em um belo dia coberto pedras, até que depois de um tempo aquelas pedras ficaram cobertas de asfalto.

Hoje nossa jornada se tornou fácil. Sabemos bem como chegar ao nosso destino e podemos até saber quanto tempo vai demorar a nossa viagem. Mas aquele pioneiro que fez o caminho pela serra, não sabia.

Ele não sabia o que encontraria além da montanha; ele não sabia se seu boi ou seu burro tolerariam as dificuldades da estrada; não sabia.

Isso é exatamente o que aconteceu com Abraham Avinu.

Há algum tempo, li que Thomas Edison fez duas mil tentativas para inventar a lâmpada elétrica. Depois que a invenção foi feita, um jovem jornalista perguntou o que ele havia sentido com tantos fracassos. Edison respondeu: "Não falhei nenhuma vez. Inventei a lâmpada elétrica. Para mim foi um processo de apenas duas mil etapas."

Um velho ditado diz que "todos os começos são difíceis", ao que eu acrescentaria: "E se não for difícil, significa que você ainda não começou".

Temos a tendência de acreditar que o caminho de Abrão para a terra de Canaã começa na Parashat Lech lecha. No entanto, se prestarmos atenção, veremos que no final da Parashat Noach (Noé) é o ponto em que Abrão deixa Ur dos Caldeus.

"E Terach levou a Abrão seu filho, e Lot (Ló) o filho de Haran, o filho de seu filho, e Sarai sua nora, a esposa de Abrão, seu filho, e eles saíram com eles de Ur dos Caldeus, para irem para a terra de Canaã. Eles vieram para Haran, e se estabeleceram lá. E os dias de Terach foram duzentos e cinco anos, e Terach morreu em Haran "(Beresheet 11: 31-32).

A Torá nos diz algo extremamente interessante: Terah também queria chegar à terra de Canaã. No entanto, ao chegar a Haran, ele preferiu ficar lá. Aparentemente, Terach não tinha vontade de chegar aquela terra.

Abraham ouviu a voz de D'us e continuou, mesmo sabendo que estava correndo riscos. No entanto, os visionários sempre pagam um custo por suas decisões.

Ser visionário não é algo que pertence a poucos selecionados, como Abraham Avinu. Nós também corremos atrás de sonhos mais humildes em nossas vidinhas. Nossas vidas também contêm aqueles pontos de reflexão nos quais devemos escolher seguir em frente ou ficar parados para não correr riscos.

E nesse ponto, só teremos que decidir se vamos continuar na busca do nosso sonho - apesar dos riscos que isso acarreta - ou se vamos continuar nossa vida, deixando uma nova oportunidade passar por nós.