Torá em Português

Old Hebrew Prayer Book

Parashat Kedoshim

O Grande Irmão e o Grande Pai

Tradução de español: David Abreu

Ligar a TV à noite me assusta um pouco. Câmeras de TV em todos os cantos de uma ilha, ou nos quartos de uma casa, na cozinha, no quarto, no bar, no banheiro.

Olha-se para o teto e percebe-se se não há nenhuma câmera em nosso próprio quarto que transmita para o ar nossa própria intimidade (E mesmo, se quisermos fugir e sair de casa com o carro, também as câmeras e suas benditas multas multas fotográficas estarão lá).

Como preservar a privacidade em um mundo onde a privacidade já é compartilhada na TV?

Um Big Brother virtual, que dita as regras do jogo, que recompensa, pune e ouve confissões está assistindo. Ele tem a medida do bom e do mau. Ele está autorizado a indagar e inquirir. Ele é o dono da casa.

Mas isso é apenas um jogo de mídia. Fora dessa realidade existe outro mundo e outro jogo.

Neste jogo não há competição, não há vencedores ou perdedores ... mas Alguém está nos observando também.

Ele dita as regras do jogo, tem a medida do bom e do mau, tem a licença para indagar e inquirir. Ele é o dono deste mundo.

E as regras deste jogo estão principalmente concentradas na Parashá que lemos esta semana. A Parashat Kedoshim, uma das seções mais pungentes de toda a Torá, defende a conduta ética pessoal e popular. Ensina-nos a viver juntos esta aventura à qual fomos chamados desde o momento em que vimos a luz deste mundo.

'Você será santo, porque eu sou santo', D'us nos diz no início da Parashá.

Kedoshim Tihiu Ki Kadosh Ani.

Lá nos é exigido compaixão para com os desprotegidos e o desenraizamento de todos os tipos de idolatria, somos advertidos contra a distorção da justiça, roubo e engano, somos impedidos de fazer juramentos falsos, nossa inação é condenada quando nosso próximo está em perigo, nós recebemos a ordem de amar nosso próximo como a nós mesmos, no que foi definido por Rabi Akiva como o princípio mais importante da Torá.

Mas esse jogo é diferente. Ninguém pode abandoná-lo voluntariamente, já que neste jogo não houve casting. Ninguém nos perguntou se queríamos jogar aquele jogo; nossos pais sonharam conosco e nos trouxeram a este mundo e para jogar, foi dito ...

Uma vez li a história de um homem que morreu, e ele veio à presença de um porteiro que com uma cara entediada disse-lhe:

'Escolha, a porta à direita é o paraíso; o outro é o inferno. '

"Sério!" Disse o homem ... a escolha está em minhas mãos? Não há julgamento? Ninguém se importa com o que eu fiz da minha vida? '

"Não, senhor!", Respondeu o porteiro, "Não há julgamento e escolha a porta rápida em que muitas pessoas estão morrendo e vindo atrás de você." "Mas quero confessar, quero estar limpo, quero ser puro", insistiu o homem. “Não há tempo para isso, escolha uma porta e entre com tempo!”.

Queremos ser julgados. Precisamos sentir que nossos comportamentos são transcendentes, que Alguém se preocupa. Precisamos sentir o rigor de um julgamento; precisamos sentir que Alguém pesa nossos erros e nossos sucessos; precisamos sentir que alguém não é indiferente à nossa virtude, nosso pecado, nossa humildade ou nosso orgulho. Precisamos sentir a presença de Alguém que zele por nós.

Um dos nomes de D'us é HAMAKOM, que significa literalmente 'O Lugar'.

O midrash explica o motivo desse nome. Hu Mekomo Shel Olam, VeEin HaOlam Mekomo. Não é D'us que está localizado no mundo; o mundo está localizado Nele ...

Somos nós que nos situamos no mundo e fazemos parte desta aventura. As regras do jogo estão na Parashat Kedoshim. Só somos solicitados a cumpri-los enquanto durar a aventura; o Grande Pai olha para nós ...