Torá em Português

Parashát Ki Tetsé

O Exame já Começou

Tradução de español: David Abreu

A Parashat Ki Tetzé menciona um dos preceitos mais incompreensíveis de toda a Torá, a Halachá de Iefat Toar, da bela mulher que foi feita prisioneira no campo de batalha.

E se algum judeu se apaixonasse por aquela linda prisioneira?

A Torá permite que o judeu se case com essa mulher idólatra, mas o faz esperar um pouco pelo tão esperado Lechaim (a vida, os convidados dizem ao verem o noivo quebrar a taça no casamento judaico). A mulher foi admitida na casa do homem, ela teve que raspar a cabeça, deixar crescer as unhas, mudar sua roupa de cativa e lamentar o pai e a mãe por trinta dias.

Para recomeçar a vida, a mulher teve que levar trinta dias. Ela teve que examinar seu passado, sua idolatria (representada aqui por seu pai e sua mãe, que a criaram dessa forma) e só então entrar no povo judeu.

O Zohar, a pedra angular do misticismo judaico, liga estes trinta dias de choro e introspecção da mulher cativa com o mês de Elul, o mês anterior a Rosh HaShana, que dedicamos precisamente a este, para revisar nosso interior e dar uma olhada em nosso passado, para dar uma guinada e endireitar o que está torto em nossas vidas.

Nossa tradição ensina que você não pode chegar à sinagoga em Rosh HaShana sem fazer seu dever de casa. É como o teste psicométrico para entrar na universidade, aqui em Israel. É necessária uma preparação prévia, estudo e reflexão.

Não podemos sentar no banco em frente à página em branco porque as questões são difíceis de responder e se não fizermos exercícios em casa dificilmente este exame pode dar bons resultados.

Você não pode ir ao Beit HaKinéset em Rosh HaShanah e dizer: "Toque o shofar!" Nunca dará resultado ... Só quem enfrenta seriamente os seus erros, quem sabe olhar para o passado e não tem vergonha de se auto-examinar pode ter sucesso.

Quem considera este mês, como a mulher Iefat Toar da Parashá, para olhar para trás e reconhecer os aspectos de sua vida que estavam errados, porque os frutos de sua nova vida nascerão justamente dos erros e rachaduras que teve seu passado. Da mesma forma, os frutos do nosso novo ano que começaremos em poucas semanas nascerão como um produto dessas fissuras que durante o Elul estaremos examinando e corrigindo. A hora do exame já começou.