Torá em Português

Parashat Chaiei Sara

Não Sou Daqui e Nem de Lá

Tradução de español: David Abreu

Desde aquele épico chamado de Deus a Abraão, na Parashat Lech Lecha, a Torá mostra nosso patriarca sempre olhando para frente, reafirmando o passo dado.

No entanto, em nossa Parashá, Chaiei Sara, Abraham olhará para trás pela primeira vez e pedirá a seu servo Eliezer que volte à sua terra natal e procure uma esposa para seu filho Isaque.

“Mas para minha terra e para meus parentes você irá, e tomará uma esposa para meu filho, para Yitzchak (Isaque)” (Bereshit 24, 4).

É uma coisa estranha.

Certamente, entre todas aquelas almas que Abraão e Sara criaram em Haran (ver RaSHI em Bereshit 12, 5), havia alguma garota adequada para Yitzchak Avinu. Por que pedir a Eliezer para voltar para buscar uma mulher em Aram Naharaim?

Talvez a resposta a esta pergunta esteja escondida nos primeiros versos de nossa Parashá. Quando Abraão se dirige aos filhos de Chet para adquirir a caverna de Machpelá, que servirá de cemitério para nossos patriarcas, ele se apresenta como um "Estrangeiro e Morador" (Beresheet 23: 4).

Superficialmente, há uma grande contradição nessa expressão. Quem é “estranho” não é “residente” e quem é “residente” não é “estranho”!

Acontece que Abraão, como quase todos os olim chadashim (imigrantes em Israel), conviveu com esse paradoxo.

Ele era um estrangeiro e veio de uma terra estranha. Mas também um novo habitante da Terra que Deus designou (ver RaSHI para Bereshit 23, 4).

A que olé chadash algo semelhante nunca aconteceu?

No meu caso, morando na Argentina, estava interessado em notícias israelenses. Mas quando fiz aliá, comecei a ficar sabendo das novidades da Argentina. Lá eu ouvia música em hebraico, e aqui comecei a amar o tango. Lá eu estava animado para provar o homus, e aqui procuro doce de batata-doce sob os ladrilhos.

Qual olé chadash não é - ao mesmo tempo - "estrangeiro" e "morador"?

“Não sou daqui, nem sou de lá”, diria Facundo Cabral.

O escritor israelense Asher Barash diz que o homem se parece com a árvore do campo. Há aquele que - de galho flexível - vai se enraizar em todas as terras onde for plantado, e há aquele que, para sobreviver em um novo solo, deve ser transplantado com uma porção de sua terra de origem.

É impressionante que Abraham Avinu, arquétipo do "sionismo" bíblico, diga a Eliezer: "Senão para minha terra você irá, e tomará uma esposa para meu filho, para Isaque." Qual é a sua terra? Ur? Não é essa a Terra que Deus apontou para você?

Mas, evidentemente, com Abraão aconteceu o que Asher Barash sugere. Ele também precisa de uma parte de sua terra de origem para criar raízes na nova terra.

No entanto, Abraão sabia bem o que ele queria para seu filho "sabra".

Há quem diga que Abraão se transforma em olé hadash na Parashat Lech Lecha. Isto está certo.

Mas seu processo de "absorção" se conclui na Parashat Chaiei Sara, quando diz a Eliezer que - embora a candidata deva ser de lá - "tome cuidado para não levar meu filho para lá" (Bereshit 24, 6).

Muitas vezes você pode olhar para trás quando sabe para onde está indo. Uma porção do solo original pode ser trazida para criar raízes em um novo solo. No entanto, "Aram Naaraim" era o passado de Abraão, não de Isaque.

Abraão não queria sacrificá-lo novamente.