Torá em Português

Old Hebrew Prayer Book

Parashat Balak

Não sei

Tradução de español: David Abreu

Uma das anedotas de que mais me lembro da minha passagem pelo colégio foi descobrir que aquela morá (professora) de hebraico que sabia de tudo, um dia não soube o que responder ...

Gostávamos de testá-la: Como se diz "hipoglicemia" em hebraico? E "naftaleno"? E "clorofila"? E ela sempre soube responder. Até que um dia a “pegamos” e ela não sabia a resposta ... E ela disse “não sei”. Mas isso não foi nada. Depois de dizer 'não sei', ficou paralisada e quando um sorriso começou a surgir em seu rosto ela começou a pular de alegria, dizendo: 'Eu disse' não sei '! Eu disse 'não sei'! '

Nunca consegui dizer àquela morá que essa foi a lição mais linda que ela me ensinou nos meus cinco anos de colégio. Ele poderia ter mentido ou ter inventado. Ela disse 'Não sei' e não só não estava envergonhada, como também estava feliz.

Bilam, o ímpio, aquele profeta de nossa Parashá contratado para amaldiçoar Israel, partiu para Balak, rei de Moav, para receber uma recompensa por seu trabalho. O rei sabia dos dons de Bilam. 'Eu sei que aquele que você abençoa é abençoado; e aquele que você amaldiçoar é amaldiçoado. ' "Vamos, por favor, e amaldiçoe este povo para mim."

Mas D'us não queria que Bilam fosse e arranjou um anjo em seu caminho com uma espada na mão. Bilam estava montado em uma jumenta e, quando o animal viu o anjo parado na estrada, correu e começou a andar pelo campo. E Bilam, nervoso porque o bicho escapou dele, o acertou ...

A jumenta sabia que o anjo de D'us estava diante dela; o profeta estava cego.

Foi então que D'us descobriu os olhos de Bilam e quando ele viu o anjo parado na frente dele e entendeu o que havia acontecido, ele disse: ‘Chatati Ki Lo Iadati’. "Eu pequei porque não sabia que você estava parado na minha frente."

Outro personagem que sabia dizer "Não sei" foi Jacó Avinu. Depois de ter sonhado com aquela escada, Jacó disse: "Verdade, o Eterno está neste lugar, e eu não sabia" (Beresheet 28:16).

A semelhança entre as duas expressões nos dá uma conclusão interessante: as almas superficiais acreditam que não saber é um pecado; as almas religiosas, por outro lado, quando se dão conta de sua ignorância dizendo 'Não sei', reconhecem a presença de D'us. Bilam não era apenas um tolo por querer amaldiçoar Israel. Ele era um tolo por pensar que não saber é um pecado.

Só o homem desajeitado pode acreditar que não saber é um pecado; Quando o homem sábio reconhece sua ignorância e a verbaliza, ele se torna ciente de sua finitude e reconhece a existência de D'us.

Isso é possivelmente o que o Talmud quis dizer quando disse: "Lamed Leshoncha Lomar Eini Iodea, Shema Titbade VeTeachez." ‘Ensine sua língua a dizer‘ Não sei ’, para que não seja vítima de sua decepção’ (Berachot 4a). Porque como diz o ditado popular: O homem é dono de seus silêncios e escravo de suas palavras.