Torá em Português

Parashat Vaishlach

Luta em Duas Frentes

Tradução de español: David Abreu

Estamos no capítulo 32 do livro de Bereshit. "E Yaakov foi deixado sozinho, e um homem lutou com ele até o amanhecer." Yaakov luta com este homem, o derrota, e seu nome deixa de ser Yaakov e se torna Israel.

Agora ... quem era este homem que incomodou Yaakov toda aquela noite? Foi um ladrão que queria te roubar? Esse homem foi de frente e começou a bater nele ou eles começaram a discutir e acabaram "boxeando"?

A Torá é silenciosa e não fornece muitos detalhes sobre isso.

No entanto, a Guemara no Tratado de Chulin nos dá duas conclusões interessantes sobre a identidade desse homem. Rabino Shmuel bar Nachmani, nos diz lá que Yaakov lutou contra um Oved Kochavim, um idólatra. Rabbi Shmuel bar Aha, nos diz que Yaakov lutou contra Talmid Hacham, um estudante erudito em Torá.

Como essa discrepância pode ser compreendida? Eles estão falando sobre dia e noite ...

O homem idólatra representa os impulsos assimilatórios; para aqueles elementos de nosso ambiente que nos empurram a abandonar o caminho da Torá. O estudante erudito na Torá, por sua vez, representa a tradição de Israel; para aqueles elementos que nos encorajam a nos agarrarmos à fonte infinita de sabedoria e espiritualidade que emana de nossa Torá.

E - embora seja paradoxal - também lutamos com os dois homens ao mesmo tempo. Tentamos derrotar o homem idólatra, os impulsos assimilatórios e enchemos nossas bocas falando sobre nosso desejo de derrotar a assimilação, e por outro lado lutamos contra o homem estudioso da Torá ... Muitas vezes investimos energia em projetos de judaísmo light , vazios de Torá.

A luta contra ambos é fútil e estéril. A vitória de um representará necessariamente a derrota do outro; nunca não vão conseguir vencer os dois ...

Discursos vazios sobre hemshech ou goldene keit não são suficientes para derrotar o homem idólatra. Se não nos agruparmos em torno dos valores que emanam do Talmid Hacham, sua derrota será um fato e não haverá tempo para chorar.

O homem idólatra nos persegue. E o estudioso da Torá, destemido, observa a cena.

Deixe-me ajudá-lo! Se eles se aproximarem de mim, vamos ganhar com certeza!

Mas não ... Preferimos continuar na luta vã e lutar contra os dois. Hoje um tapa neste, amanhã um golpe naquele outro ...

Que D'us abra nossos olhos e nos faça entender a falta de sentido dessa luta dupla.