Torá em Português

Parashat Vaieshev

Hakuna Matata

Tradução de español: David Abreu

Em 1994, os estúdios da Disney lançaram o filme "O Rei Leão", sem dúvida um de seus produtos mais famosos e bem-sucedidos.

O filme conta a história de Simba, um filhote de leão herdeiro do trono na savana. Seu tio Scar, um ser malvado e cruel, decide assassinar Mufasa, o rei - o pai de Simba - e manter o cetro. Scar faz Simba acreditar que ele foi o culpado pela morte de seu pai e este - tomado de medo - empreende a fuga e vai para o exílio em busca de um novo futuro.

Lá no exílio, depois de conhecer Timão e Pumba, Simba adquire uma nova filosofia de vida, Hakuna Matata, que em suaíli passaria a significar algo como "Sem problemas" ou "Não se preocupe".

Finalmente, e depois de se reunir com Nala, uma velha amiga de infância, Simba decide retornar à savana para recuperar o trono e trazer ordem ao caos causado por seu tio Scar, usurpador do trono de seu pai.

Costuma-se dizer que o filme é inspirado no Hamlet de Shakespeare. No entanto, o rabino Benny Lau faz uma comparação formidável entre a história de Iosef, que começa em nossa Parasha, e o famoso filme da Disney.

No capítulo 39 do livro de Bereshit, a Torá conta a história da esposa de Iosef e Potifar. Depois de ser vendido por seus irmãos, Iosef chega ao Egito, onde é vendido como escravo a Potifar, um alto funcionário do Faraó. Lá no exílio, à maneira de Simba de "O Rei Leão", Iosef inicia uma nova etapa longe de casa.

Devagar, Iosef começa a se posicionar na casa do oficial egípcio. RaSHI indica que, ganhando poder, Iosef começou a se entregar aos prazeres corporais. Começou a saborear iguarias, a beber e a pentear o cabelo, coisa que já gostava de fazer quando era mais jovem (ver comentário de RaSHI a 39,6). Alguém teria sussurrado no seu ouvido um Hakuna Matata, e Iosef começa a reconstruir e colocar sua vida de volta nos trilhos. Ele rapidamente se torna o braço direito de Potifar, e Potifar o deixa no comando de sua casa.

Um dia, Potifar saiu de casa e Iosef ficou lá com a esposa do oficial. Esta, atraída pela presença do jovem hebreu, decide seduzi-lo e implora-lhe que durma com ela.

Este é possivelmente o ponto de viragem na história de Iosef. O Talmud diz no tratado de Sota (36b): Naquele momento, o rosto de seu pai Yaakov "apareceu" para ele, refletido na janela. Ele disse: "Yosef, seus irmãos - e você entre eles - serão inscritos no futuro nas pedras do éfode (que ficará no peitoral do sumo sacerdote). Você gostaria que seu nome fosse apagado de lá?

Este midrash também lembra uma cena de "O Rei Leão":

Simba ainda se sentia culpado pela morte de seu pai. No entanto Nala - aquela leoa amiga de sua infância - tenta convencê-lo a retornar ao seu reino. Simba se recusa terminantemente.

Rafiki, um babuíno sábio, diz a Simba que Mufasa ainda está "vivo" e o leva para um lago próximo. Diante daquele espelho d'água, Simba vê refletido o rosto de seu pai Mufasa que o incita a recuperar o cetro perdido das mãos de Scar. "Simba, você se esqueceu de mim", diz Mufasa. "Você esqueceu quem você é e então me esqueceu." Nesse ponto, Simba percebe que não pode mais fugir de seu passado e entende qual é o verdadeiro motivo de sua vida.

Iosef reage de forma semelhante ao assédio de mulheres. De forma concisa e direta, Iosef explicará o motivo de sua recusa:

"Aqui meu senhor não sabe o que está na casa comigo, e tudo o que está nela ele entregou em minhas mãos. Não há ninguém mais importante do que eu nesta casa, e ele não proibiu nada de mim, exceto você , porque você é sua esposa. E como eu poderia fazer este grande mal, pecando diante de D'us? " (Beresheet 39, 8-9).

Seria de se esperar que Iosef enfatizasse a imoralidade de sua proposta ou enfatizasse sua depravação moral. No entanto, ao contrário das expectativas, Iosef enfatiza que sua proposta o levaria à transgressão diante de D'us.

É formidável! Diante dessa mulher adúltera que quer trair o marido e derrubou todas as barreiras morais, Iosef para ... e fala com ela sobre teologia! Ver o rosto de seu pai também lembrou Iosef do propósito de sua vida. Diante dessa mulher, Iosef redescobre suas raízes e mostra que, quando estão fundas, nenhum vento - por mais forte que seja - será capaz de arrancá-las do lugar.

Mas, acima de tudo, Iosef entende - como Simba em "O Rei Leão" - que o passado é uma parte constitutiva de nossa existência e que não podemos escapar dele. Hakuna Matata é uma filosofia simpática. No entanto, ele nega o passado; convida você a viver nada além do presente efêmero.

Iosef de repente entende que se aprende com o passado; um novo caminho está sendo construído sobre as falhas, tropeços e erros de ontem. O Iosef que passou seus primeiros anos concentrando-se em seus próprios sonhos, começa a cuidar dos sonhos dos outros. E ele faz isso com o D'us de seu pai Yaakov em mente e em sua boca.

Isso é o que acontece quando você pode reconhecer suas raízes e compreender o propósito de sua própria existência. Diante daquela mulher, Iosef conseguiu voltar ao que sempre foi: o filho de Yaakov Avinu.