Torá em Português

Parashát Ki Tavô

Baruch Ha-Shem

Tradução de español: David Abreu

A Parashá desta semana fala sobre a mitzvá dos Bikurim.

Os primeiros frutos de nosso campo não deviam ser comidos por aqueles que trabalhavam na terra. Deviam ser colocados em uma cesta e levados ao sacerdote que os oferecia diante do altar divino.

E na hora da oferta foi dito:

'Um arameu errante era meu pai, e ele desceu ao Egito e residiu lá com poucas pessoas, e lá ele se tornou um povo grande, forte e numeroso. E os egípcios nos maltrataram, nos oprimiram e nos deram trabalho duro. E clamamos ao Eterno, D'us de nossos pais e o Eterno ouviu nossa voz e viu nossa aflição, nosso trabalho e nossa opressão. E o Senhor nos tirou do Egito com mão forte e braço estendido, e com grande terror, e com sinais e maravilhas. E ele nos trouxe a este lugar, e nos deu este país, uma terra que mana leite e mel. E agora, eis que trago as primícias do fruto da terra que me deste, Eterno '.

Esta passagem praticamente resume a Torá em seis linhas. Em seis versos, a Torá chega desde Yaakov e sua chegada ao Egito, passando pelos quarenta anos no deserto e alcançando os próprios portões da Terra Prometida, o lugar onde a Parashá da semana é fisicamente desenvolvida.

No momento de gratidão, no momento em que a semente parece ter dado fruto, as imagens vêm à nossa mente como um turbilhão de ideias.

Eu penso, por exemplo, em um pai que vê seu filho atingindo a idade de mitzvot e o ouve pela primeira vez lendo a Torá. Ali, naquele momento, treze anos de vida passarão por sua cabeça em vinte segundos, os mesmos vinte segundos que leva para ler o depoimento dos Bikurim e que resume quase trezentos anos de história em seis linhas.

A gratidão é o motor da solidariedade e da dedicação. Se você vê uma sociedade com pouca solidariedade, com certeza é uma sociedade ingrata …

Portanto, não é por acaso que após a passagem dos Bikurim, a Parashá fala sobre a tsedacá (doação). A gratidão traz à tona os sentimentos mais nobres que estão em nossos corações.

ViHi Noam HaShem Elokeinu Aleinu, Umaase Iadenu Konena Alenu, Umaase Iadenu Konenehu. Que a graça de D'us esteja sobre nós, afirmando com ela as obras de nossas mãos. Afirme, D'us, as obras de nossas mãos.