Torá em Português

Parashat Vaietzê

Agradecendo

Tradução de español: David Abreu

A Torá nos conta esta semana sobre o nascimento das doze tribos de Israel.

A história é mais ou menos conhecida. Yaakov tinha duas esposas (Leah e Rachel) e duas concubinas (Zilpa e Bilá) que o agraciaram com treze filhos. A primeira a dar à luz foi Leah e quando deu à luz o seu quarto filho nos conta a Parashá: “E ela concebeu mais, e deu à luz um filho, e disse: 'Desta vez vou agradecer (Odé) a Eterno ', e chamou seu nome de Yehuda "(Bereshit 29, 35).

Leah é mostrada como uma mulher agradecida, e essa qualidade merece destaque; seu quarto filho - Yehudah - traz em seu nome a raiz da palavra Todá (obrigado).

Porém, vale a pena se perguntar ... por que ela esperou que seu quarto filho nascesse para agradecer a D'us? Por que você não agradeceu quando Reuven, Shimon e Levi (seus primeiros três filhos) nasceram?

O Midrash nos diz que Leah fez um cálculo inteligente. “Doze tribos sairão de Yaakov”, ele pensou. "Se Yaakov tiver quatro esposas, cada um terá três tribos ...". Quando Leah viu que D'us acrescentou um quarto filho à sua porção de três tribos, então disse: “Desta vez vou agradecer a D'us” (Tanchuma, VeIetze).

Leah não é apenas uma mulher grata aqui; Ela é uma mulher que sabe ler corretamente as bênçãos que recebe em sua vida e diz "obrigada" por isso.

A tradição judaica nos ensina a ser gratos. A primeira palavra que o judeu deve dizer ao se levantar é Modé Aní ... (Agradeço, D'us vivo, que piedosamente fez a alma retornar ao meu corpo).

A tradição judaica dita que, antes de tudo, antes de lavar as mãos, escovar os dentes, digamos "Obrigado". Isso nos obriga a que a palavra ‘Obrigado’ seja a primeira a sair de nossa boca pela manhã. Mesmo que me pedissem para resumir a essência do Judaísmo em uma frase, eu diria que o Judaísmo é o exercício permanente de gratidão e o reconhecimento de que podemos não ser tão merecedores das muitas bênçãos que recebemos em nossas vidas.

Talvez seja por isso que o Midrash nos diz: LeAtid Lavo, Kol HaKorbanot Betelin, VeKorban Toda Eino Vatel; Kol HaTefilot Betelot, HaHodaá Eina Betela (No final dos dias todos os sacrifícios terão que ser cancelados, exceto o sacrifício de ação de graças (o Korvan Todá); todas as orações serão canceladas, exceto a oração de agradecimento (o Hodaah) (VaIkrá) Rabba 9, 7).

Algo muito semelhante acontece com a Tefilá (Reza). Quando na repetição da Tefilá de Shacharit (Reza da manhã), o oficiante atinge a décima sétima bênção (o Hodaah, a bênção da ação de graças), a congregação lê o Modim DeRabanan em voz baixa, uma versão diferente da referida bênção reservada apenas para a comunidade.

Por quê? Por que o oficiante não pode representar a congregação nesta bênção da mesma forma que o faz nas outras?

O rabino David Abudarham nos ensina que um representante pode ser nomeado para qualquer oração. Você sempre pode procurar um emissário para orar por sua saúde, por seu bem-estar ou por sua fortuna.

Mas você não pode nomear um representante para dizer "Obrigado". Cada um deve agradecer por si mesmo.