Torá em Português

Parashát BeShalach

A Traição dos Cavalos

Tradução de español: David Abreu

Encontramos em Parashat BeShalach, a travessia milagrosa do Mar de Juncos e o infeliz fim das tropas do Faraó.

Sempre me perguntei por que os egípcios entraram naquele mar. Eles estavam inconscientes? Era tanto seu ódio por Israel? Não podiam imaginar que o mar aberto cairia sobre eles?

Na verdade, de acordo com o midrash, os egípcios não queriam entrar no mar ... Quem queria entrar eram os cavalos.

Nossos hachamim (sábios) nos contam que as ondas do mar começaram a ter a forma de éguas e os cavalos desesperados se jogaram nas águas (Shemot Rabbah 23, 14).

O que este midrash enigmático quer nos ensinar?

Pode querer nos mostrar que a força de Mitzraim (Egito), baseada em sua esmagadora força de cavalaria, acabou sendo sua própria ruína. O império que venceu batalhas pela força de seus cavalos ... acabou perdendo essa batalha por causa desses mesmos cavalos !!

(Algo semelhante havia acontecido com o carneiro do akedá (sacrifício de Isaque). Sua força residia em seus chifres volumosos. E por causa desses chifres acabou enredado ... e abatido).

É o que geralmente acontece quando a grandeza reside exclusivamente na força física. A força física geralmente é muito traiçoeira se não for acompanhada por um temor reverente do céu.

É verdade que as batalhas são vencidas com cavalos, tanques, aviões e veículos blindados. Até o moderno Estado de Israel possui um aparato militar que nos dá segurança e nos enche de orgulho. Mas a verdadeira força de nosso povo nunca residiu nas armas, mas antes em nosso compromisso moral e nossa fé inabalável em D'us.

Sabemos os tempos difíceis que Israel está enfrentando. Sabemos dos inimigos de fora, sabemos dos inimigos de dentro e da violência que não para. Sabemos que é bom e essencial ter cavalos, tanques, aviões e veículos blindados.

Mas sabemos, ao mesmo tempo, que é fundamental manter aqueles valores que sempre nos proporcionaram coesão e força como povo.

Sabemos que não podemos contar apenas com a força das armas. Porque essa confiança pode muito bem ser traiçoeira, como aconteceu com os cavalos do Faraó.

Como disse o profeta Zecharia (Zacarias), por inspiração de D'us: ‘Não por poder, nem pela força, mas pelo Meu espírito, diz o Senhor dos Exércitos’ (Zecharia 4, 6).