Torá em Português

Parashat Shemot

A Porta de Saída

Tradução de español: David Abreu

Há algum tempo, li uma ideia muito poderosa do Rabino Yaakov Chinitz Z "L.

Tanto o livro de Bereshit - no qual a gênese do mundo está relacionada a nós - quanto o livro de Shemot - em que a gênese do povo judeu está relacionada a nós - começam, de forma paradoxal, com uma “Saída”.

Em geral, costumamos entrar pela "Entrada" e sair pela "Saída". No entanto, no Sefer Bereshit somos informados nos primeiros capítulos sobre a partida de Adam e Chava do Gan Eden (Jardim do Eden), e no Sefer Shemot (Êxodo) sobre a partida dos filhos de Israel do Egito.

Esses não são os únicos exemplos bíblicos; também a fase mais importante da vida de Abraão começou com uma "Saída" (Lech Lecha) (E nossas próprias vidas não começam também com a saída do útero da mãe?).

A mensagem parece clara. Esperávamos que esses começos fossem assinalados por um sinal de "ENTRADA". No entanto, a Torá nos apresenta uma mensagem diametralmente oposta: tanto na vida do universo, como na vida de uma nação e em nossas vidas particulares ... o início é marcado por sinais de "SAÍDA"!

O estágio ativo da vida de Moshe também começa com uma "Saída":

“E foi naqueles dias, Moshe cresceu e foi até seus irmãos e os viu em seus trabalhos pesados” (Shemot 2, 11).

A vida no palácio do faraó era - aparentemente - previsível e incontestável. Luxos, dormir até o meio-dia e servos aqui e ali. A vida "real" de Moshe ainda não havia começado.

E de repente, Moshe deixa sua torre de marfim e entra no mundo em que seus irmãos sofrem.

Até então, ele vivia no palácio real sem saber de sua verdadeira identidade. Por que sair daí? Quem precisa conviver com o infortúnio dos outros quando a vida é apresentada de maneira tão confortável e relaxada?

E ao partir, a Torá tece juntas - em seis versos curtos - três histórias que dão conta da natureza desta partida.

"E foi naqueles dias, Moshe cresceu e foi até seus irmãos e os viu em seu trabalho pesado; e ele viu um homem egípcio espancando um homem hebreu. Ele olhou aqui e ali e viu que não havia ninguém, e ele matou o egípcio e escondeu-o na areia ".

"E ele saiu no segundo dia e eis que dois homens hebreus brigaram e disseram aos ímpios:" Por que você está batendo no seu parceiro? "

"E o sacerdote de Midiã tinha sete filhas que vieram e tiraram água e encheram os bebedouros para dar água às ovelhas de seu pai. Os pastores vieram e as expulsaram. Então Moshe se levantou e as ajudou, e deu de beber às suas ovelhas" (Shemot 2: 11 -17).

Não era relevante para Moshe se era uma disputa entre um hebreu e um gentio, entre dois hebreus, ou entre homens e mulheres gentios. A luta pela paz e pelo que considerava justo estava acima de qualquer denominação nacional. Moshe sai de sua bolha e se mistura com as criaturas.

Um provérbio conhecido diz que a vida começa aos quarenta. Este provérbio se concretiza na figura de Moshe, já que aos quarenta anos - de acordo com o Midrash - ele deixou o palácio do faraó.

No entanto, a mensagem sugerida aqui pela Torá não é tanto cronológica quanto moral: não importa em que idade a pessoa o faz; A vida real de uma pessoa começa quando ela decide "Sair". A Torá nos ensina, através da vida de Moshe, que a verdadeira maneira de entrar no mundo é sair.