Torá em Português

Parashat Bereshit

A espera do Hineni

Quando analisamos o relato da Criação, e observamos os comportamentos das primeiras gerações, perceberemos que o homem nasceu evitando responsabilidades.

Adão, já tendo comido do fruto proibido, ouviu a voz de D’us perguntando-lhe: "Você comeu da árvore?" O homem não admitiu a culpa: "A mulher que você me deu me deu aquela fruta." A mulher também não aceitou acusações: "Foi a cobra", disse ela. "Ela me seduziu e eu comi."

Caim acabara de assassinar seu irmão Abel e ouviu a voz de D’us dizer: "Onde está seu irmão?" E Caim - bem educado por seus pais quando se trata de evitar responsabilidades - disse: "Sou eu o guardião do meu irmão?"

Essa insensibilidade pela vida do outro continuará na Parashat Noach, a seção da Torá que leremos na próxima semana.

Uma geração inteira deveria ser varrida da face da terra. Apenas Noah e seu povo seriam inocentados.

Porém, Noé, um homem justo e honesto aos olhos de D’us, evitou interceder pelos condenados.

A Torre de Babel é outro exemplo claro. Diz-se que se um tijolo caísse do alto, todos chorariam. Por outro lado, se foi um homem que caiu, o acidente foi visto com indiferença.

Aparentemente, D’us estava procurando desde o momento da Criação por aquele homem que pudesse ser o portador de Sua palavra e mensagem. D’us pergunta ao primeiro homem ‘Aieka’ (Onde está você?) E ele só receberá uma resposta vinte gerações depois, com o nascimento de Abraham Avinu, o primeiro a responder ‘Hinení’ (Eis-me aqui). O primeiro homem a se sentir um verdadeiro guardião do irmão.

Adão foi sem dúvida o primeiro homem ... Mas o primeiro mentsch (honrado e justo) foi Abraham Avinu.

Tradução de español: David Abreu